quinta-feira, 18 de agosto de 2011

Desconexa

Eu sei lá que princesinha de gelo você esperava que eu fosse. Mas eu prefiro ser assim, o oposto. O extremo oposto. Não uso vestidos rodados o tempo todo, não tenho pele de bebê,
rosto de bebê
ou modos de bebê.
Não sou fofa. Sei que invento minhas próprias formas de pedir e dar atenção. Mas cada hora é hora. Quando sinto, sinto. Não sou de porcelana. Não sou de brinquedo. Sou bem real. Com rompantes reais,
carências reais,
atitudes reais.
Desvie o olhar se estiver procurando perfeição. Está olhando pro lugar errado. Pro nariz errado,
boca errada,
coração errado.
Nunca vou poder competir ou dividir lugar com um ideal, uma nostalgia. Não há nada de platônico em mim. Nada de surreal. Só a Anna. Diferente,
mutável,
falível.

3 comentários:

Mima disse...

Que grande privilégio ser só real.

Nada mais puro, nada mais humano do que ser autenticamente. É pleonasmo dizer 'ser autenticamente'? Porque tem uns que são, mas não o são.

Um abraço em ti, moça.

Hélen Caciano disse...

E é por isso que quem ama, ama.

Só por esses motivos todos.

Beijos amor.

Oziel disse...

Mania que os outros têm de querer nos mudar. Fingir que nos aceitam como somos, que nos amam como somos e ao final parece que não somos o bastante para eles. Shakespeare disse um dia: "Não importa quão boa seja uma pessoa, ele sempre vai feri-lo de vez em quando e você precisa perdoá-la por isso". É nem sempre somos tão perfeito. Isso é o que nos faz especiais. Vc é especial por ser assim:"bem real".
Oziel S.A.