sexta-feira, 10 de setembro de 2010

Quantas vezes mais eu vou cair a mesma queda, sorrir os mesmos sorrisos idiotas e depois doer as mesmas dores? E eu achando que meu coração não tinha mais pra onde decrescer. E eu achando que ele já estava dormente demais pra bater.

5 comentários:

Lia Araújo disse...

A gente é tão inocente nas nossas juras de " nunca mais"... de achar que podemos controlar sentimentos.
Pois é, Deyse... a vida é mesmo essa montanha-russa....

entonce... minha vida está sendo um dia de cada vez... sem promessas ou profecias....

Eim, fico feliz de que vc não esteja melancólica esses dias...
Sou filha do século, logo sou melancolia está nos meus ossos, já.
Mas, pode ficar a vontade pra não me visitar frequentemente, eu entendo, aquele blog faz mal, oh... pra qualquer um.


beijos, Deyse!

Clara disse...

Às vezes somos surpreendidos com nossas promessas. Me sinto tão mal quando isso acontece. =/

bjooos

Izau Melo † disse...

(...)

Lu Nascimento disse...

É...isso me lembrou Caio F.:

"Tenho uma vontade besta de voltar, às vezes. Mas é uma vontade semelhante à de não ter crescido"

;D

Joey Marrie disse...

Quando parece pequeno é que ele é imenso, quando parece querer parar, aí sim, é mais intenso...

^^