segunda-feira, 26 de julho de 2010

Vamo falar de amor mesmo, porque de realidade é mais difícil...

Eu não consigo acompanhar a realidade.
To cursando jornalismo. Daí quando digo pras pessoas que não assisto jornal, todo mundo fica me olhando como se eu tivesse, de repente, virado o Shrek. Mas é a verdade. Não assisto jornal, não leio jornal, não ouço na rádio. Dificilmente abro um site de notícias pra dar uma lida, mas ainda assim, só tenho raiva. São erros de português, ausência de ética e profissionalismo. E lá, perdida no meio disso, uma informação. Geralmente sem importância ou mal enfocada. Aí eu desanimo né? Num há quem se empolgue com a profissão desse jeito.
Ultimamente eu prefiro ler blogs de amor. E até blogs de humor seriam melhores pra minha saúde mental do que acompanhar a realidade. Quando a gente respira de uma desgraça, a mídia lança outra e esgota e satura cada uma. Como se o povo tivesse que ver várias vezes, até estar anestesiado e não enxergar mais a barbárie das notícias que são veiculadas. Uma moça matando os pais com ajuda do namorado, pai e madrasta matando filha/enteada, jovem mantendo ex-namorada em cárcere privado pra depois matá-la friamente, mulher grávida matando seu marido com facada no peito, um goleiro famoso mandando matar a mãe do próprio filho. Isso porque eu realmente não sei o que aconteceu depois disso. Como já disse, não acompanho. Lembro de ter lido uma frase assim "Rei do Bacalhau". Só isso e umas imagens de bonequinhos sendo derrubados (tipo uma simulação de chacina, ou sei lá o que). Mas pela repercussão que vi, acho que essa é a mais recente menina dos olhos da imprensa né?! (Que lindo pra nossa cara, jornalistas!)

Aí eu pergunto: vou escrever achismos de amor ou de coisas reais?
Prefiro meu mundinho, ora cor-de-rosa, ora cinza. Mas sempre de amor. Obrigada.

3 comentários:

Lia Araújo disse...

Bem melhor achismos amorosos!
Pois é... gosto daqui de verdade!

bjos Deyse!

P.S Que bom que vc gostou do post, as vezes, dá vontade mandar algumas pessoas tomarem.... banho!
Se preocupa não... não se conformar é o primeiro passo.

Clara disse...

É tanta apelação que até perdemos a vontade de acompanhar jornais e notícias.. Aqui em casa quando aparece sobre o caso Bruno muitas vezes mudamos de canal. Tanta coisa negativa... e depois de tanta notícia ruim o jornalista ainda consegue sorrir e soltar "Agora vamos falar de futebol! Sobre a seleção brasileira e...", Ou seja, a tristeza e as desgraças são tapadas com as alegrias jogadas para assistirmos, como se nada tivesse acontecido.

Um mundo meio frio. ._.

S. disse...

Ossos do oficio, minha cara! Nós temos o mesmo sentimento de se recusar a assistir jornal, mas a minha forma de expressar isso é "tosca" pra ti ne..auahuahuahau..eu tenho q defender bandidos e ainda ficar do lado deles.. entao serio q a tua profissao é pior do q a minha? Pra tua sorte: SEMPRE tem alguem em pior situação do q a nossa. Mas, felizmente, no meu caso eu sou como vc, me recuso a "agir" profissionalmente em casos q eu considero um esterco! Beijos pra vc q me ama!