sábado, 24 de julho de 2010

Para Deyse

Título egocêntrico, eu sei.
Só queria dizer que to cansando dessa mania de escrever sobre amor, dor, saudade, paixão, confusão, desilusão, melancolia, tristeza, tragédia, drama, lágrimas, cartas... e dor, amor, saudade, e drama, sempre as mesmas coisas que me enervam! E eu to saturando tanto o assunto que acho que aos poucos vou ficando anestesiada. Será o tédio chegando, hein, Lia? Talvez.
Já já eu vou começar a me derreter toda de novo. Porque eu sou uma menina que chora às vezes, que faz questão da dor e se concentra nela. Só pra vê-la virar aquela pseudo-poesia, que é o que ela sabe escrever, e achar. É trágico, mas inevitável!
Eu só precisava desabafar: nem eu me aguento mais!


Eu nunca deixei de achar que o amor é uma roupa linda nos outros. O problema é eu mesma tentar vesti-lo. Que não cabe! Eu sempre fico muito pequena dentro dele ou ele muito pequeno em torno de mim. O certo é que nunca ajusta. É bem melhor que, por enquanto, eu o olhe de longe...

6 comentários:

Lia Araújo disse...

Fiquei agora com uma vontade de te abraçar e dizer que vai passar. E tentar acreditar que isso passa. Talvez, não seja a pessoa mais apropriada pra aconselhar ou acalentar alguém... mas, sou ótima ouvinte, qualquer coisa, de verdade, você pode falar, mandar email, sei lá.
Deyse, acho que não é o tédio não. Você ta só saturando, pq isso te consome. Tédio é uma coisa tão ruim, tão feia, tem nada a ver com isso aí. No tédio, não se sente nada no tédio, é a apatia total, o que “tanto faz como tanto fez”... eu te desejo nunca se entediar de sentir de verdade. É mais como a Tati Bernardi escreveu: Amar dói tanto que você fica humilde e olha de verdade para o mundo, mas ao mesmo tempo fica gigante e sente a dor da humanidade inteira. Amar dói tanto que não dói mais, como toda dor que de tão insuportável produz anestesia própria..."
Desabafa Deyse! Isso aqui é pra isso mesmo.
Outra coisa... a gente acha que ta falando besteira, mas ta fazendo poesia( não lembro quem to parafraseando). É você o que você escreve. Pessoas vão gostar ou não. Isso é o que menos importa. Se você gosta, é o que vale. Se te faz bem, exerceu a função dela. Eu gosto muito daqui, de verdade. E se concentra na dor, é mais corajoso que tentar ignorá-la. Você é uma menina chorona e corajosa, viu?

Sinta-se abraçada.
bjos

S. disse...

Eu nem qria dizer, mas faco de suas palavras as minhas: virou mesmo blog de amor.. rsrsrsrsrsrs!!! ADOROOOO... ;**

Clara disse...

Oi florzinha

Você ainda não achou seu tamanho... ou estão remendando e enlargecendo para você achar que não dá! Decepções são barra pesada mesmo e realmente pensamos e dramatizamos muito em cima disso quando acontece com a gente (eu sei bem disso... me livrei de um sentimento assim essa semana, acredite! =]) Mas uma hora passa e você se sentirá melhor.

Agora, no meu caso eu vinha sofrendo por causa de um assunto mal resolvido, inacabado. Se você tem algo assim, sugiro resolver, terminar sabe. Muda muito quando terminamos de resolver esses problemas... mas não desista. Qualquer coisa sou toda ouvidos =) (mesmo lendo).

bjo grande linda! Fique bem!

Clara

Lia Araújo disse...

Ah, Deyse, Feliz dia do Escritor
\a/
Que sua escrita floresça sempre. Que vc encontre inspiração não só na dor, mas na alegria tb!
Que vc acredite e nunca deixe que ninguém menospreze o que vc sente e escreve. Isso serve pra vc também.

bjos

Pipa. Agora eu era o herói. disse...

Eu tenho um pouco de trapo aqui.
Se você me ajudar a costurar, posso fazer um vestido de chita procê.

Um beijo de céu com gosto sonho.

Izau Melo † disse...

Tem coisas que só um bom palavrão pra expressar e não vou me poupar aqui
PQP teus textos são bons pra c#$%$%

"Eu nunca deixei de achar que o amor é uma roupa linda nos outros. O problema é eu mesma tentar vesti-lo. Que não cabe! Eu sempre fico muito pequena dentro dele ou ele muito pequeno em torno de mim. "

forte pra cacete!