quarta-feira, 4 de agosto de 2010

Às cartas virtuais, meu repúdio

Repudio as cartas de computador. Nem penso em digitar cartas. Digitar e cartas são palavras que não combinam. Eu prefiro escrevê-las. Prefiro o papel, a caneta, o lápis... o sentimento. Mesmo que eu não entregue, ou entregue em rascunhos amassados. Ou rasgue. Mesmo que sejam mais doloridas. Prefiro as cartas escritas mesmo que eu as esqueça em prateleiras, no meio de um montão de papéis.
Já achei cartas antigas que casaram com meu presente. Eu brincava com o futuro pensando "nunca vai chegar". E me doeu a ironia.
Mas ainda prefiro as cartas escritas. Mesmo que me façam lembrar muita coisa esquecida. Esquecer é uma palavra forte. Está mais pra guardar, esconder. Isso. Mesmo que me façam lembrar muita coisa escondida.
E eu fico fingindo que vou entregar.


"Uma loucura
chamada
amor..."

Que transcreveu para um cartão.
E que eu não esqueço. Só guardo.

5 comentários:

S. disse...

Vc guarda pq vc escreve bem! Se fosse cartas minhas, seriam atiradas no lixo mais longe possivel! uahauhauhauhau... é interessante mesmo ler as tuas cartas! Deixa eu ler??? ;) ADORO (bjumeliga!)

Cristina Moura disse...

Nada melhor que escrever ainda mais cartas, escrever manualmente com certeza uma hora você irá reve-la e lembrar de como foi bom ou ruim tirando algum aprendizado, mas cartas virtuais raramente são lembradas. Lindo seu texto *-*

Lia Araújo disse...

"É ainda possível chorar sobre páginas, mas não se pode derramar lágrimas sobre um disco rígido". Saramago


Sempre que penso em escrever alguma coisa penso nessa frase, por isso, tudo que escrevo foi escrito antes em um caderno lindo, todo azul com o pequeno príncipe na capa. Também tenho muitas cartas que eu não mando e talvez nunca vá mandar, talvez não, certeza de que nunca mandarei. Essas cartas são desabafo, acho feitos de nós para nós mesmas, o eu do presente, pensando no eu do passado e escrevendo pro eu do futuro.

Sobre as cartas de amor, li em algum lugar, que não foram feitas pra darem notícias ou revelarem sentimentos, e sim, pra duas mãos que nunca se encontraram tocarem a mesma folha de papel. Lindo isso!]

Adorei a imagem!
Deixa o repúdio de lado, digita e põe aqui. Fiquei curiosa.;)

Bjos Deyse!

Clara disse...

Tenho muitas cartar guardadas e escrevi muitas também.. mas de repente, desapareceu esse costume! Estou esperando um amigo me mandar o endereço novo a meseeeees e ele nunca me manda para eu mandar uma carta (que já até descartei por estar tão desatualizada). Preferem olhar emails e finjir ler "cartas" no meio de vários emaisl de cobrança, problemas, spams, correntes bestas e afins.

Gostava do tempo que a melhor visita do dia era o moço dos correios. Bons tempos.

bjooos florr

Izau Melo † disse...

Eu penso o mesmo, textos digitados e recados gliterinados são destituidos de qualquer sentimentalismo...
gosto do manuscrito, além do sentimento percebe-se que a pessoa teve trabalho em fazer e isso é o mínimo pra quem quer provocar sentimentos com palavras

Excelente texto