segunda-feira, 29 de agosto de 2011

Guardo-chuvas

Me escondo.
Casulo.
Preservo.
Guarda-chuva.
Emudeço.
[Silêncio]

Futuro.
Eu fujo.
Se chove lá fora,
admiro.
Se chove aqui dentro,
guardo-chuvas.

6 comentários:

Deyse Cruz disse...

Eu poetando? Influência da Mima! ^^ [http://floreseflechas.blogspot.com]

Mas acho que vou deixar as poesias pra ela, que sabe o que faz! :D

Macabea de La Mancha disse...

A Mima é maravilhosa, mas você também sabe o que faz - Belíssima metáfora construída neste poema!
Gostei!

Camila Paula

Mima disse...

Linda! Páre de bobagens! Olhe que belo poema você fez... Quem são os outros pra definir o que é bom ou o que é ruim em poesia* Poesia é vida, é guardar chuvas ou chover de vez em quando. É alimentar a alma de palavras, é suprir o papel de fragmentos do viver. Lindo poema... Eu também guardo chuvas aqui dentro.

Bjo, Deysinha.

Danniele Pontes disse...

Adorei seu blog, Deyse!
Parabéns, estou seguindo :)

Jairo Felipe disse...

Vitamina D, semre que venho tenho boas suprersas,que poetada fera!

Evelyn Dias disse...

Que show de poema! Parabéns !