segunda-feira, 30 de agosto de 2010

Aqui chove. Mas não por dentro. Nem nos olhos.

Chove aqui. E tá lindo.
Não daquelas chuvas de chorar. Não.
É daquelas chuvas que você tem vontade de se jogar embaixo.
Como é o nome disso?
A verdade é que eu to mordendo o canto da boca pra não sorrir. Um sorriso idiota e teimoso que ninguém merece. Que eu reconheço, mas não quero passar adiante. Mas é mais forte do que eu. E, se alguém que me conhece de verdade passar por aqui agora, vai saber que é aquele frisson do mal e dissimulado.


P.S. Sobre sorrisos do nada e frissons igualmente idiotas. Sobre felicidades que vêm e vão. Sobre mim.

3 comentários:

Izau Melo † disse...

Vá se ferrar, odeio a naturalidade com que escreves, esse teu talento miserável de falar muito em poucas frases, de expressar a mesma dor que sinto em palavras que cabem na palma da mão enquanto eu me afogo nas minhas...
Eu estava ontem ai, enquanto essa chuva caia, compartilhávamos da mesma dor em locais diferentes e apesar das paredes e dos quilometros que nos separava a minha mente te levou pra passaear em algum lugar...

Lia Araújo disse...

Aproveite então o frisson...

bjos

Clara disse...

Aproveite esse momento!! Sorria mesmo e deixe o resto para lá!!

Chuvas são boas... que bom que choveu por aí! Estava muito seco né!

bjoos